20-N

Hoxe, 20 de novembro, cumpriuse o 73º cabodano do pasamento do ditador Francisco Franco Bahamonde, que morreu na cama. Hoxe, tamén, coñecemos que un esperpéntico grupúsculo radical interpuxo unha denuncia perante a Fiscalía do Tribunal Superior de Xustiza contra un partido político, legal e democrático, como tantos outros. E fíxoo porque disque a súa conduta é “repugnante” na imposición do uso da “lengua regional” e manipula menores através dos seus “grupos auxiliares”.

En tan magna data quero ademais, antes de durmir, compartir con vostede, que le, dúas frases que escoitei onte. A primeira perténcelle a un compañeiro de redacción e, a outra, ao propietario dun establecemento de hostalería da coruñesa Ronda de Outeiro. Aí quedan:

“Un xornalista que chega á casa sobrio e antes das doce da noite, nin é xornalista, nin é nada”

“Yo no soy racista, pero prefiero que estean allá”

Dito queda.

5 Responses to '20-N'

  1. odemo Says:

    Yo no soy racista pero [Encher com algo bonito-bonito]

  2. Galeguzo Says:

    «Hoxe, 20 de novembro, cumpriuse o 73º cabodano do pasamento do ditador Francisco Franco Bahamonde».

    Parece que foi ontem, sim, mas… só foi o 33º cabo de ano 😀

  3. Galeguzo Says:

    E falando de frases… faço duas aportações (de algum jeito) com as situações que ouviste.

    DIÁLOGO 1: Sr. X (director de meio de comunicação) e Sr. Z (redactor)

    Z – Sr. X, são já as 23h e a minha jornada acabava às 20h. Como fazemos com as horas extras?
    X – Sr. Z, somos jornalistas, não funcionários.

    DIÁLOGO 2
    – Vinha aqui cobrir estes papéis…
    – Ahá. Agora mesmo trabalha?
    – Não, estou no paro.
    – Ahá.
    – Eu não é não sou racista nem nada, mas aqui vêem muitos imigrantes que não fazem nada e deixam-nos sem trabalho.
    – Mulher, se nos “deixam sem trabalho”, será porque trabalham, digo eu…
    – Eu não sou racista, mas há muito “maleante” que vem de fora…

    [Entra um marroquino]

    – … e este “moro” trabalha aqui também?

  4. feiranta Says:

    “que estean allá…” Como lle dixen a vostede, estiven vendo con pasividade a emisión de Antena 3. Tiven que deixar de vela por temor a odiar a Vicente Alexandre ou a ter en gracia a El Rei ese… bffff

    😉

  5. Galeguzo Says:

    A mim aconteceu-me algo similar à Feiranta… o que quer que lhe diga? Resultou-me complicado ver “morrer” o senhor Aleixandre 😛 E o actor que fez d’El-Rei (nunca lembro o seu nome), mimá, se até parecia um Bourbon inteligente 😀